terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Capítulo III: Três Não é Demais

Então, continuando: a Anastasia foi-se pra casa quando os pais da Pá voltaram e eu fiquei naquele encanto...foi quando comecei a tomar conhecimento das ONGs dedicadas a retirar animaizinhos da rua e fui atrás. Meu primeiro contato foi mesmo com o AUG, em cujo site eu namorei com muito gatinho antes de ir atrás. ^^'

O meu primeiro contato físico com o trabalho das meninas, foi numa ida ao consultório da Dra. Angélica, onde ficam uns poucos gatos. Fui com a Pá e, naquele dia, eu enlouqueci com o Fígaro e o Wally, que estavam lá, voltando da segunda devolução, coitadinhos. Sendo bem sincero, eu sou meio exagerado, e tenho uma fixação por bicho grande (quando eu planejava morar sozinho, eu achava que ia ter um cachorro, que ia ter que ser algo do porte de um labrador, golden retriever ou pastor alemão! Como disse hilariamente o comediante americano Jeff Dunham, "cachorro que treme quando late não é cachorro" XD)...coisa de homem, né, coisa ridícula! hehehe! Quem acompanha o AUG há tempo, sabe do que eu tô falando: o Fígaro e o Wally eram dois gatões gigantescos, sete a oito quilos cada, mas ESBELTOS! Eram praticamente duas jaguatiricas! XD
E, quando cheguei lá e o Fígaro estendeu a patinha pra mim, eu me derreti...doido pra levar os dois pra casa! Mas a Pá não tinha simpatizado muito com a idéia de colocar dois gatos já (tão) crescidos pra dentro de casa...e eu engoli aquela vontade (por ora). ^^'

Marcamos então de ir um sábado no abrigo do AUG, onde escolhemos as criaturinhas que tanto mudaram a minha vida hoje em dia, principalmente, pra uma vida mais divertida, (um pouco) mais responsável e feliz.
Eu já tinha ido na cabeça de adotar gato preto. Eu fico INDIGNADO com o fato de gatinho preto ficar acumulando zonas de adoção, por causa de SUPERSTIÇÃO (pelamordedeus, povo, Século XXI, né?)! Daí, eu já tinha ido na cabeça: adotar pretinho. Outra coisa, por tudo que eu tinha lido, que eu tava decidido a fazer, era adotar dois, pois como eu trabalhava o dia inteiro, não queria que o meu bichinho se sentisse sozinho em casa (pra quem não conhece gato, sim, isso acontece, e depende de bicho pra bicho - na dúvida, pegue dois :P). E o destino foi gentil comigo: rodei o local inteiro, paquerando muito gato. Tava até disposto a levar algum encalhadinho. Mas os grandes, na maioria, não se engraçaram comigo (salvo a Namorada do Pom-Pom, que até fez um...fofo pacto de sangue comigo... XD). Daí voltei lá embaixo...encarei bem...e vi um pretinho cabeçudo e patudo, tinha mais ou menos dois ou três meses lá embaixo...analisei bem e ele, até meio arisco na hora, tinha alguma coisa que me chamou a atenção. Não sei bem o que é, mas achei ele a coisinha mais legal do mundo: todo pretinho, ele tinha uns olhos diferentosos, bem âmbar, e uma eterna carinha de mau...Já tinha até pensado em pelo menos três nomes diferentes pra ele (eu explico meu problema com indecisão outro dia.. XD), quando a Pá volta lá de dentro segurando uma tigradinha no colo, com aquela cara de "ó ti toisa mais fofa!". As meninas explicaram que tigrinhos, assim como pretinhos, sofrem pra ser adotados...nesse caso, por serem muito "comuns" (ah, vão pastar... :P). Daí, qual não foi a minha surpresa, quando elas disseram que a tigradinha era irmãzinha do pretinho por quem eu tinha me engraçado! Daí, foi batata, uniu-se a fome com a vontade de comer, e trouxemos os dois pra casa! ^^

Alguns meses depois, já estávamos começando a conversar sobre adotar um terceiro filhote, mas como eu tava meio incerto (sobre custo, se eu ia conseguir proporcionar conforto pros gatitos e tudo o mais), tínhamos acordado que adotaríamos o terceiro, mas que ele teria que encantar os dois - e ter a ver com o nome que eu tava querendo colocar nele (próximo post eu explico a minha lógica pra nomes XD). E isso aconteceu num dia que inventamos de passar na feirinha do pessoal da Paulista, e demos de cara com um coitado dum branquelinho maltratado, magrelo, cheeeeio de pulgas...ele tinha sido adotado por uma dona, que o devolveu uma semana depois, reclamando que ele a tinha mordido...um gatinho com pouco mais de dois meses! Daí, ambos concordamos que finalmente tínhamos achado o nosso terceiro filhote, e completamos a "Tríade do Orochi". :D

Então, sem enrolar (mais), queridos leitores e leitoras, eu os apresento aos Gatitos que compõem a Sociedade dos Gatitos, e com os ícones que ilustrarão o foco dos posts futuros aqui na Fellowship:


DRIZZT

Dizem que um pai não pode ter preferência por filho nenhum, mas eu acho que isso é hipocrisia da sociedade. Eu amo a todos os meus filhotes incondicionalmente, mas não posso negar que o meu pretuxo é o meu xodó-mor: ele foi o meu primeiro escolhido, afinal! ;)
Drizzt Wayne Terremoto é, de longe, o mais carinhoso dos três, e também o mais carente—além de ser, também, o mais teimoso. Gruda em mim onde quer que eu esteja na casa, vem atrás por onde ando, dá beijinho, e manda e desmanda nos outros (também, ele é o maior, mais ágil e forte dos três). É o mais trabalhoso de se levar à veterinária e a marca registrada dele é o Miado Sirene: cada miada dura uma eternidade, mas é bem marcante ("Minhéééééééééééééééééééééééééééééééééééééééééééééu..." XD).




NAMI

A Namitasu Namigôda Tsunami é a irmãzinha tigrada do Drizzt, a escolhida pela Pá e é a coisa mais entregue e fofa da casa (em todos os sentidos XD). Ela é quem chega correndo da sala e se joga aos pés da gente já de barriguinha pra cima, e não pode ver uma superfície horizontal humana (o popular "colo" XD) que já chega dando um mosh e lá ficando. É também a detentora da maior quantidade de apelidozinhos da casa, como Namitasu, Namizô e Namigôda (uma tribo viking recentemente descoberta por historiadores, falarei mais dela em outra oportunidade XD). Ela é um amor, e a maior prova de que "gatinha comum" é o baralho! :P
 A marca registrada dela é o Miado Resmungo: ela é a mais faladora dos três, mas parece que vive resmungando da vida (puxou ao pai :P), ou, pelo menos, imitando um pombo. XD




ARTHAS

Não se deixem enganar pela eterna carinha de coitadinho: o branquelo é o arauto do caos e da destruição na Terra! O príncipe Arthas Menethil Furacão faz juz à origem de seu nome: ele é o vilão da casa e a tudo pretende conquistar e destruir. Responsável pelos maiores estresses da casa desde que eu me tornei gateiro, ele rende MUITA história pra contar. E, mesmo ele sendo tão mala, de pouquinho em pouquinho o pulguentinho conquistou o lugarzinho dele no meu coração, saindo de um gatinho arredio e anti-social pra um gatinho que tá começando a gostar de toque...pelo menos, por alguns segundos. XD hehehe
Ele é o mais nerdinho dos três, sempre para pra assistir anime comigo, ou pra me ver jogando video game. É também o mais sem-noção dos três, em relação a o que machuca os outros (principalmente a mim...) ^^'
Sua composição é 1/3 de gatinho pra 2/3 de cauda e sua marca registrada, além da heterocromia (um olho de cada cor) e da belezinha de morrer (que esconde um ser altamente malévolo XD hehe), é o Miado Patinho-de-Borracha: parece até que ele tá morrendo de asma, coitado... ^^'

Ah, e antes que perguntem, apesar de ter um olho azul, ele não é surdo—graças às deusas, ou eu REALMENTE teria problema em (tentar) disciplinar o gatitito... ^^'

Então, é isso: essa é a Fellowship of the Kittehs, pessoal! :)
Tem muita história dos Gatitos pra contar...e espero conseguir fazer posts menorezinhos daqui pra frente...hehehe ^^'

7 comentários:

Claudinha disse...

Ah, mas eu já tinha visto uma cartinha sua lá no AUG .... que legal! e como estão lindos! do seu ultimo bigode eu não sabia!
em casa tb tenho uma patinha de borracha (Teca) e um pombo (Toco), kkkk. Lá em casa ninguem assiste anime comigo :( (adoro o animax, uhuhu)
tá ficando muito legal o seu blog!

Uniqua disse...

Que maximo, nao sei qual dos tres piludos é o mais lindo, talvez seja mesmo impossivel escolher.
Também tenho uma gata "sem-noçao" aqui em casa.......

Bell disse...

Aaaah acho eles todos tão fofos, mega vontade de não largar (instintos de felicia)

Continue postando, com certeza vai ter histórias divertidas =D

(tb quero um gatinho mimimi...)

Oro disse...

Bellzita, tu nem tens blog pra eu responder! Espero que volte aqui e veja! XD hehehe

Brigado pela visita! ;*

Saudade de ti, espero que já tenha arrumado alguma coisa (aqui, zero...nem pra gnomo de Shopping no natal... :P)

Beijo! ^^

Claudinha disse...

Oro,
o vicio agora é Bleach, antes foi Fullmetal Alchemist.... e tudo começou com os cavaleiros do zodíaco (nem sei se era mangá) na Manchete (uia, tô velha, heim) ... meu marido acha engraçado eu gostar tb de anime, e de musica japonesa tb.... kkkkkkk
não tinha pensado nesse programa, vou ver com o marido se ele tem....

Ah, vai ter mais promoções ainda,,,,
=^.^=

Silvia disse...

Então... ontem eu tinha escrito um comentário enorme aqui, que a Jade fez questão de apagar todinho em um minuto de ausência minha.
Que bom que seu gato não é surdo, rsss. Realmente é bem complicado explicar qualquer coisa pra ele!
Bjo!

Crazy Mary disse...

Ai que máximo!! Muito legal a história sobre o início da sociedade. E mais legal ainda saber que todos foram adotados com muito carinho... Adorei os três. A Tcheca também tem esse miado resmungo como a Nami, nem sei se é miado, é uma mistura de barulho de pomba com o "bruumm" dos gatos, realmente um resmungo!
Ah, pode deixar que eu "agüento" até o mês que vem pra conhecer a Anastasia! rs...